Colaborações com Dentistas

Destaque a importância da parceria entre laboratórios de prótese e dentistas para alcançar os melhores resultados.

Robótica na Cirurgia Oral: Avanços e Tendências na Odontologia Moderna

Robótica na Cirurgia Oral: Avanços e Tendências na Odontologia Moderna

2023 ago 13 22 minutos de leitura

Descubra como a robótica está revolucionando a cirurgia oral na odontologia, trazendo previsibilidade, precisão e result...

Perguntas Frequentes sobre Nossos Serviços

Encontre Respostas para suas Dúvidas sobre os Serviços Personalizados da Precision Laboratório

Ambas as soluções oferecem melhorias significativas na estética do sorriso, corrigindo manchas, irregularidades e espaçamento entre os dentes. Além disso, elas proporcionam resultados naturais e duradouros.

As lentes de contato dental são ainda mais finas do que as facetas e exigem menos desgaste do dente original. As facetas, por outro lado, são lâminas um pouco mais espessas e podem requerer um pouco mais de desgaste.

Lentes de contato dental e facetas são revestimentos finos, geralmente de porcelana, que são aplicados na parte frontal dos dentes para melhorar a aparência estética e corrigir imperfeições.

O processo envolve uma consulta inicial para avaliar a viabilidade do tratamento. Em seguida, é realizado um desgaste mínimo do esmalte dental, caso necessário. As impressões ou o escaneamento intraoral são feitos, e o laboratório de prótese produz as lentes de contato ou facetas sob medida. Finalmente, elas são aplicadas e fixadas nos dentes.

A escolha depende da avaliação feita pelo profissional de odontologia. Lentes de contato são ideais para correções mais sutis, enquanto facetas podem ser recomendadas para casos que demandam maior transformação estética. A decisão também considera a saúde dos dentes naturais e as preferências do paciente.

O enceramento diagnóstico por elemento é um processo no qual molda-se e esculpe um modelo de cera que simula a forma e posição ideal dos dentes para auxiliar no planejamento e comunicação eficaz entre o laboratório de prótese, o dentista e o paciente.

O principal objetivo é visualizar como o sorriso do paciente será após a colocação das próteses dentárias. Isso ajuda a definir a estética e funcionalidade das restaurações, permitindo ajustes antes da produção final.

O processo começa com moldagens dos dentes do paciente. Com base nessas moldagens, o laboratório de prótese cria um modelo de cera que reproduz a forma e posição ideais dos dentes. Isso proporciona uma representação tridimensional do resultado final desejado.

O enceramento diagnóstico é fundamental para o planejamento preciso de restaurações estéticas. Ele permite ao dentista e ao paciente visualizarem o resultado final antes da produção das próteses, evitando surpresas desagradáveis e garantindo a satisfação do paciente.

O enceramento diagnóstico cria uma comunicação eficaz entre todas as partes envolvidas. O paciente compreende melhor as opções de tratamento, e o dentista pode tomar decisões informadas. Isso resulta em próteses mais personalizadas, esteticamente agradáveis e funcionalmente eficientes.

A principal diferença está no método de fixação. Na coroa parafusada, a prótese é fixada ao implante por um parafuso. Na coroa cimentada, a prótese é cimentada ao pilar do implante.

A coroa parafusada permite fácil acesso caso seja necessário removê-la para manutenção ou ajustes. Além disso, a fixação por parafuso proporciona uma conexão mais rígida, reduzindo a chance de infiltração bacteriana.

A coroa cimentada oferece estética mais favorável, pois não há a presença do parafuso. Além disso, ela pode ser usada em situações em que o espaço é limitado para a colocação do parafuso.

A escolha depende de diversos fatores, incluindo a posição do implante, a estética desejada, a preferência do paciente e a análise do profissional de odontologia quanto à saúde bucal e necessidades específicas.

O processo começa com uma avaliação do implante e do espaço disponível. Com base nisso, o laboratório de prótese cria uma coroa personalizada. Para coroas parafusadas, o parafuso é inserido e fixado após a confecção. Para coroas cimentadas, a prótese é cimentada ao pilar do implante após ajustes finos.

Um coping de zircônia é uma estrutura interna altamente resistente e durável, fabricada em zircônia, usada como base para próteses dentárias, como coroas. Ele possibilita a cobertura de remanescentes escurecidos, suporte e estabilidade para a restauração final.

O coping de zircônia oferece excelente resistência mecânica, biocompatibilidade e estética natural. Sua alta durabilidade torna-o uma escolha confiável para restaurações dentárias de longa duração.

O processo envolve a usinagem computadorizada (CNC) da zircônia, um material cerâmico de alta tecnologia. O design é baseado em modelos digitais 3D, permitindo uma precisão excepcional no encaixe e na forma.

O coping de zircônia é recomendado para casos em que é necessário um suporte robusto, como em próteses posteriores onde a carga mastigatória é maior. Também é uma excelente opção para pacientes que têm alergias a outros metais.

O coping de zircônia fornece uma base sólida para a restauração final, garantindo a estabilidade e longevidade da prótese. Sua resistência e compatibilidade biológica garantem que a restauração cumpra suas funções com qualidade.

Imagem Newsletter
Ícone primário
Boletim de Notícias

Assine nossa newsletter

Ao clicar no botão, você concorda com nossos Termos e Condições